segunda-feira, 16 de abril de 2018

Professor comunista do PSOL humilha e expulsa aluno da sala de aula



Na quarta-feira (11/04.2018), na Escola Pública EEM Professor Otávio Terceiro de Farias (localizado na Av. C, 435 – bairro: Pref. José Walter, Fortaleza), o Professor Euclides de Agrela, que leciona História e Sociologia, promoveu publicamente assédio moral contra um adolescente em sala de aula. Conforme se pode observar no vídeo, ele agride verbalmente e expulsa o aluno da sala de aula apenas por questões político-partidárias.

O ocorrido começa quando o professor Euclides pergunta em sala de aula, quem votaria em Bolsonaro, no que 80% se manifestou afirmativamente. Então o professor afirmou: "Tenho um vídeo aqui que vai fazer os senhores e senhoras a mudarem de ideia” Entretanto ocorreu um problema na execução do vídeo e quando o aluno tentou argumentar com o professor sobre a afirmação doutrinária feita, sofreu o assédio.

Dentre as agressões foi dito: "você vai ser o primeiro negro a morrer se você votar nele". Divulguem e façam chegar ao Escola Sem Partido, Ministério Público, Ministério da Educação, Associação de pais de alunos e Igrejas de Fortaleza. Como o PSOL mesmo afirma, "não se pode tolerar violência". Euclides de Agrela é Professor de História na Secretaria de Educação do Estado do Ceará.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Azerbaijão se tornou a ‘Terra da Intolerância’ aos cristãos; entenda

Na região não tão famosa do Cáucaso, entre o Mar Negro e o Mar Cáspio, um país chama a atenção. É o Azerbaijão, uma nação que faz fronteira com o Irã, Armênia, Geórgia e Rússia, cuja população é de maioria muçulmana.
Apesar de ser conhecida como Terra da Tolerância, o Azerbaijão tem o regime mais repressivo de sua região. Nenhuma oposição política é tolerada e o nível de corrupção é generalizado. Oficialmente, o país é secular e a religião é tolerada. No entanto, o nível de vigilância é tão elevado que os cristãos azerbaijanos não sabem em quem confiar, já que o governo monitora atentamente as atividades de grupos religiosos.
A perseguição
Para a maioria dos cristãos no país, a perseguição vem de funcionários do governo em inúmeros níveis, que vão desde autoridades locais e policiais que invandem reuniões, detém cristãos e confiscam materiais, até famílias, amigos, comunidades e imãs locais que se opõe à conversão de muçulmanos ao cristianismo.
São estes cristãos que suportam o maior peso da perseguição, tanto das mãos do Estado como de seus familiares, vizinhos, amigos e comunidades. Igrejas não registradas têm de viver com o fato de que suas atividades são ilegais e podem ser fechadas e seus membros e líderes presos, até grupos cristãos registrados.
O Azerbaijão ocupa a 45ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2018, segundo a organização Portas Abertas.
Desde 1992, a lei sobre liberdade religiosa foi alterada 14 vezes. Segundo o Portas Abertas, as intimidações e restrições criam uma atmosfera tão opressiva que cristãos locais acham mais fácil divulgar o evangelho no Irã ou na Geórgia do que em seu próprio país.
Pedidos de oração
Ore pelos fiéis que desejam se reunir para cultuar e realizar trabalhos evangelísticos. Para que líderes de igrejas sejam estratégicos e sábios e para que a igreja do Azerbaijão possa crescer no conhecimento de Cristo.

Decretada a prisão do ex-presidente Lula


O juiz Sergio Moro decretou a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na tarde desta quinta-feira (5). Moro determinou que Lula se apresente até as 17h de sexta (6) à Superintendência da Polícia Federal no Paraná, em Curitiba.

terça-feira, 20 de março de 2018

Museu particular possui mais de 8 mil Bíblias

Local possui exemplar da Torá datado do ano 900 feito em pergaminho

Museu particular possui mais de 8 mil Bíblias
São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, abriga a maior coleção particular de Bíblias do Brasil e uma das maiores do mundo. Na casa do pecuarista e ex-ministro da Agricultura Antonio Cabrera Mano Filho existem mil exemplares, em 2.800 idiomas
As Escrituras ocupam as prateleiras dos dois andares da casa, em um condomínio de luxo. Entre elas, partes da primeira edição da Bíblia imprensa pelo alemão Joahnnes Gutenberg utilizada no século 14.
Uma versão igual, só que completa, foi vendida em leilão por 12 milhões de dólares, cerca de R$ 30 milhões.
Além da versão que ajudou a começar a Reforma Protestante, existem outras raridades na coleção, como uma Bíblia de 1487, editada por Francis Fry, escrita em latim. Ela fica junto com a primeira tradução em português, de 23 volumes, feita pelo pastor João Ferreira Almeida.
O exemplar da Torá – 5 primeiros livros da Bíblia – é datado do ano 900 e foi feito em pergaminho. Da Inglaterra ele obteve outra preciosidade: a Bíblia real que era utilizada pela rainha Elizabeth. O exemplar ainda está na caixa original. Há exemplares em línguas como o inupiat, falada na costa ocidental do Alasca, e até algumas em dialetos africanos.
Chamam atenção os manuscritos originais, escrito em papiro, em couro, folhas de bananeira, entre outros materiais. A coleção conta com um exemplar da Bíblia feita em velino (couro de ovelha), em 1200. Cada página significa uma ovelha morta. “O papiro não podia ir para regiões frias, então faziam em velino. Para fazer uma dessas precisa de 500 a 600 ovelhas e o serviço demora de 13 a 15 anos, por isso era caríssima e inacessível”, conta.
“É um hobby e uma maneira de preservar a história. O brasileiro tem a memória muito curta. Além disso, a Bíblia é o alicerce, contém os valores judaicos cristão, que são a essência da nossa civilização, base da democracia, do trabalho. É o corrimão da estrada da vida”, explica o colecionador.
A origem da coleção
Antonio Cabrera Mano Filho é terceira geração da família que cuida do acervo. No total, entre Bíblias, livros e manuscritos, todos sobre religião, são cerca de 63 mil objetos.
O primeiro contato da família do Cabrera Mano com a Bíblia foi através de Belino, bisavô de Antônio. Ele era italiano e chegou no Brasil no século 19, onde trabalhava na construção da estrada de ferro. Certo dia, para fugir da chuva se abrigou em um pequena construção, que ficava no caminho de casa.

Era o templo de uma igreja presbiteriana, que naquele momento realizava um culto. “[Belino] Sentou no último banco e o pastor falou ‘só Jesus salva’. Ele achou aquilo o máximo, tirou o chapéu da cabeça, jogou no meio do corredor e repetiu isso umas três vezes. E ninguém fez nada. Ele chegou em casa e falou para minha bisavó que no outro domingo queria que ela levasse as filhas àquela igreja porque as pessoas eram amigáveis e contavam bonitas histórias da Bíblia”, conta o ex-ministro.
Uma das filhas, a avó de Antônio, começou a guardar atas e livros, dando início à coleção. “Isso faz quase cem anos e até hoje vamos na igreja. Faço parte da Igreja Presbiteriana Central e dou aulas lá aos domingos”, conta Mano Filho. Com informações Diário da Região

Escolas norte-coreanas ensinam que “cristianismo é o mal e a cruz é o diabo”

EXILADO POLÍTICO REVELA COMO FUNCIONA A DOUTRINAÇÃO DO REGIME COMUNISTA 

As crianças que vivem sob o regime comunista norte-coreano são ensinadas diariamente que “cristianismo é o mal” e que a cruz é um símbolo do diabo, disse um cristão que hoje vive fora do país.
John Choi é um dos muitos exilados políticos que arriscou a vida para escapar da Coreia do Norte. Ele hoje trabalha com organizações que denunciam os abusos praticados contra os cristãos no país mais fechado do mundo.
Choi, que chegou a ser perseguido e ameaçado por sua fé em Jesus, explicou que as crianças são ensinadas a acreditar que o cristianismo é uma “religião americana malvada” e que não se pode confiar nos missionários.

“Quando eu era criança, também acreditava que o cristianismo era algo perverso e que a cruz era um símbolo do diabo. Desde o ensino fundamental tínhamos de prestar homenagens diante de fotos dos primeiros líderes da Coréia do Norte, Kim Il- Sung e seu filho, Kim Jong-Il”, revelou. “Hoje, as crianças norte-coreanas aprendem a se curvar diante de Kim Jong-Un, também. Eles são vistos como ‘deuses’.”
Os professores contam histórias que atribuem “poderes sobrenaturais” aos presidentes do país. Por exemplo, lembra Choi, dizem que Kim Il-Sung era “capaz de segurar um arco-íris com a mão”.
“Tudo na Coréia do Norte gira em torno da família Kim. As crianças recebem uma constante lavagem cerebral para que honrem os líderes. Na pré-escola, os professores nos ensinavam a orar para os líderes na hora do almoço. Tínhamos de agradecer aos ditadores pelo nosso ‘pão de cada dia’. Somente quando adulto percebi que eles usavam uma versão da Oração do Pai Nosso”, conta.
Conforme Choi, os norte-coreanos contam muitas ‘lendas’ sobre pastores e missionários atacando e torturando os cidadãos. Isso cria uma imagem maligna em suas mentes e os afasta de qualquer um que por ventura tenha interesse no cristianismo.
Ainda assim, ele está esperançoso. Diferentes ministérios têm conseguido levar para território norte-coreano informação sobre a vida fora do país. Existem programas de rádio na língua coreana com notícias e a pregação do evangelho. Apesar de proibidas, Bíblias são contrabandeadas e distribuídas nas mais diversas formas, sejam carregadas pelos balões, seja em versões eletrônicas, em unidades de USB que podem ser facilmente escondidas.
O desejo de Choi é que a igreja do Ocidente não ignore o que acontece na Coreia do Norte e interceda para que “Deus abra os olhos, os ouvidos e os corações dos norte-coreanos de todas as idades”.
“Se os cristãos, de todo o mundo continuarem orando, veremos o dia em que todas as pessoas do meu país aprenderão a verdade sobre Deus e o cristianismo. Um dia, eles se voltarão para a cruz”, confia.
Outros desertores, como o Pastor Lee Joo-Chan, que agora mora na China, também falaram sobre como as crianças são criadas sob o regime de Kim. Com informações Christian Post

domingo, 18 de março de 2018

"Meu sucesso não tem nada a ver com a sorte, mas sim com Deus", diz Chuck Norris


Um dos maiores nomes do cinema mundial, impossível pensar em filmes de ação, especialmente envolvendo artes marciais, sem lembrar do lendário Chuck Norris. Além de ator, ele também é produtor de cinema, instrutor de artes marciais e palestrante. Aos 78 anos, Norris contou como Deus determinou o sucesso da sua carreira.
“As pessoas vêm até mim e dizem: ‘Chuck, você é o cara mais sortudo do mundo, porque é um campeão mundial de caratê e uma estrela de cinema e da TV”, disse Norris. “Quando eles me dizem isso, eu simplesmente sorrio e respondo que a sorte não teve nada a ver com isso. Meu sucesso não tem nada a ver com sorte, mas sim com Deus”.
As declarações de Norris foram publicadas pelo site God Reports e mais uma vez testemunharam a fé do homem que é considerado o “mais durão” dos Estados Unidos. Todavia, a fama de Chuck Norris não começou assim. Ele contou que sofria bullying quando criança.
Com um pai alcoólatra, Norris entregou sua vida a Jesus Cristo aos 12 anos. Mas ele precisava superar a perseguição dos colegas de escola, por ser um garoto pequeno e magro comparado aos outros da sua turma. Por várias vezes Norris precisou sair correndo da escola para evitar confronto com os garotos que, não raro, agrediam ele na rua.
Sua trajetória foi contada em sua autobiografia, intitulada “Against All Odds: My Story” (“Contra Todas as Probabilidades: Minha História”). Um pouco mais velho, Norris entrou para a Força Aérea Americana, viajando para a Coreia como parte do treinamento. Lá, ele aprendeu artes marciais e desde então não parou mais.
As declarações de Norris foram publicadas pelo site God Reports e mais uma vez testemunharam a fé do homem que é considerado o “mais durão” dos Estados Unidos. Todavia, a fama de Chuck Norris não começou assim. Ele contou que sofria bullying quando criança.
Com um pai alcoólatra, Norris entregou sua vida a Jesus Cristo aos 12 anos. Mas ele precisava superar a perseguição dos colegas de escola, por ser um garoto pequeno e magro comparado aos outros da sua turma. Por várias vezes Norris precisou sair correndo da escola para evitar confronto com os garotos que, não raro, agrediam ele na rua.

Sua trajetória foi contada em sua autobiografia, intitulada “Against All Odds: My Story” (“Contra Todas as Probabilidades: Minha História”). Um pouco mais velho, Norris entrou para a Força Aérea Americana, viajando para a Coreia como parte do treinamento. Lá, ele aprendeu artes marciais e desde então não parou mais.

A Mini Bíblia na Coréia do Norte

                 

Na Coréia do Norte a população só pode adorar ao seu presidente e a Bíblia Sagrada é proibida com penas severas.